Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
8
27 de Abril de 2005 às 00:00
SIM
Quem não deve, não teme. Valentim Loureiro já esteve impedido de exercer as suas funções durante um ano e nesse período muito se falou, mas a verdade é que ainda não foram deduzidas as acusações. Diz-se inocente, de consciência tranquila e perante a passividade da Justiça portuguesa, que levantou as medidas de coacção, revolveu, com naturalidade, voltar ao activo.
Mário Figueiredo - Subeditor Desporto
NÃO
Valentim Loureiro não devia reassumir os cargos enquanto o processo não fosse definitivamente clarificado pela Justiça. É verdade que a Justiça devia ser mais célere, sobretudo quando se trata de casos tão mediatizados, mas também é verdade que Valentim Loureiro, por uma questão de defesa da sua própria imagem, devia ser o primeiro a prescindir destas suas funções até tudo estar esclarecido.
António Sérgio Azenha - Editor de Política
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)