Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
7
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Armando Esteves Pereira

Aprovação no teste

Os maiores bancos portugueses dispararam ontem na Bolsa, antevendo-se a passagem nos testes de robustez à Banca europeia, cujos resultados são hoje divulgados.

Armando Esteves Pereira(armandoestevespereira@cmjornal.pt) 23 de Julho de 2010 às 00:30

A aprovação das quatro instituições portuguesas é uma excelente notícia, especialmente após semanas tão instáveis, em que os bancos europeus desconfiavam dos portugueses por causa do efeito de contágio do vírus grego. Mas há dúvidas sobre se os testes europeus acabarão com a pressão sobre a Banca. Há sempre quem diga que muitas instituições passaram porque a prova foi fácil. Por mais algum tempo, a torneira do oxigénio para a Banca portuguesa deverá continuar a ser a cedência de liquidez do Banco Central Europeu.

Os banqueiros portugueses que hoje vão exultar com os resultados também têm muitas dores de cabeça para gerir. Além da anemia da economia portuguesa, há o problema do malparado. Ainda não tem a dimensão de outros países, mas está a subir, e empresas e famílias já somam um calote que ultrapassa os 9 mil milhões de euros. Por outro lado, a degradação das notas de rating vai encarecer o preço do dinheiro, mesmo quando o mercado normalizar. Isso vai ter efeitos em toda a economia e nos consumidores. Não são só os spreads do juros que tendem a ficar mais altos. As comissões de serviços prestados são cada vez mais caras.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)