Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
3
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

João Pereira Coutinho

Assassinos

Os verdadeiros assassinos de Lampedusa continuam na sombra.

João Pereira Coutinho 13 de Outubro de 2013 às 01:00

Durão Barroso foi a Lampedusa para prestar homenagem a centenas de imigrantes mortos em naufrágio. A população recebeu-o com as honrarias da praxe. ‘Assassino!’, gritou-se na ilha. E ‘assassino’ grita-se nos jornais.

Parece que a morte dos imigrantes é culpa exclusiva da Europa e das suas políticas restritivas de imigração.

É uma forma de ver as coisas.

Outra, mais desconfortável, é perguntar por que motivo tanta gente arrisca a vida para chegar à Europa. A resposta talvez nos levasse ao colapso – político, social, económico – de uma parte da África pós-colonial depois da partida do abominável ‘homem branco’.

Na minha modesta opinião, quem começa por matar aquelas centenas de infelizes são governos corruptos que, pela fome ou pela catana, os enfiam em barcos medonhos. Mas é sempre mais confortável chamar ‘assassino’ ao dr. Durão enquanto os verdadeiros assassinos continuam na sombra.

Lampedusa mortes naufrágio assassinos
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)