Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
2
16 de Fevereiro de 2007 às 00:00
Pior ainda é que, se o ministro Vieira da Silva diz que esses números são um momento e não uma tendência, é ver o último relatório do Banco Central Europeu. Lá se diz que Portugal se arrisca a não manter os seus compromissos em relação ao défice das contas públicas se não forem tomadas outras medidas. Que só podem ser no pior sentido para o povo contribuinte.
Enquanto o partido do Governo radicaliza a leitura do resultado do referendo ao aborto contra as suas próprias promessas – em que é que o aconselhamento obrigatório à mulher lhe tira a liberdade, dr. Alberto Martins? – o povo tem de se preocupar com coisas um pouco mais prosaicas: como sobreviver, por exemplo.
Com um ministro das Finanças que todos os dias se ufana dos impostos que nos consegue cobrar, um ministro da Economia nada económico em projectos – e pouco mais – e um líder do grupo parlamentar que resolveu ter os seus 15 minutos de glória no aborto, o País só tem razões para estar contente. Vá lá que pelos vistos entrámos domingo no séc. XXI...
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)