Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
6
18 de Setembro de 2008 às 00:30

O topete atingiu a um ponto tal que o defensor das petrolíferas (que usa argumentos que trazem à memória o célebre ministro da Informação iraquiano de Saddam) se atreveu a esclarecer aquilo que Manuel Pinho teria querido dizer quando criticou, timidamente, o preço elevado dos combustíveis. Claro que com um ministro menos risível do que Pinho nada disto aconteceria.

Mas há um organismo, por cá, que se chama Autoridade de Concorrência – para que servirá?

Ver comentários