Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
8
19 de Outubro de 2004 às 00:00
O frango não resolvido de Vítor Baía (apesar da estirada acrobática) entra no anedotário do clássico – todas as fotografias indiciam que a bola entrou mesmo – mas o que fica realmente para a história são os três pontos que valeram aquele pontapé fantástico do sul-africano Benni McCarthy aos 9 minutos.
Que “bomba”! que força, que colocação e que efeito ele imprimiu à bola!. Um golo fabuloso que deixou Moreira pregado ao chão e decidiu para o campeão europeu mais um clássico na Luz. O resultado até pode ter sido injusto e não há duvida de que o árbitro penalizou o Benfica com duas decisões erradas, mas o bom do McCarthy não quer saber disso para nada.
Embirrações aparte, ele provou mais uma vez que é o melhor avançado do FC Porto e talvez da Superliga (a meias com Liedson) e também mostrou a Víctor Fernández que não é boa ideia deixá-lo no banco. O Benni tem manha, o Benni tem força, o Benni tem instinto, Benni é um atleta talhado para os grandes momentos, como o Jorge Costa. O Benni resolve, portanto, o Benni tem de jogar. É com jogadores desta estirpe que se ganham jogos e títulos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)