Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
3
29 de Janeiro de 2008 às 00:30
O Sporting sobreviveu à prova mais rigorosa e assegurou uma vantagem directa relativamente ao FC Porto (0-1, 2-0), em cima de uma vitória tantas vezes celebrada na competição inaugural, a Supertaça.
Em contraste com a hegemonia da formação de Jesualdo Ferreira, traduzida num avanço quase obsceno na classificação, o Sporting soma vantagens sobre vantagens, se lhe juntarmos ainda a possibilidade, muito forte, de ganhar a Taça da Liga. A ideia da sobrevivência leonina no meio de uma tempestade não é forçada – e este triunfo é uma bem insuflada bóia de salvação atirada não apenas ao clube, mas à própria Liga.
O jogo de Alvalade evidenciou uma enorme diferença competitiva, mas a capacidade de sofrimento e o espírito solidário podem operar milagres. A história do futebol regista inúmeros casos em que os menos apetrechados se agigantaram e vieram a beneficiar de uma boa ajuda da fortuna. Mas que ninguém se deixe enganar: o Sporting melhorou imenso a sua organização defensiva e o FC Porto tem efectivas dificuldades de finalização que, ao longo da época, têm sido disfarçadas pela eficácia anormal de Lisandro Lopez.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)