Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
4
12 de Fevereiro de 2003 às 02:12
SIM

Num exercício mediático de se lhe tirar o chapéu, Sá Fernandes marcou pontos ao referir que o relatório do Gpia sobre as avarias do Cessna é 'intelectualmente desonesto' pelo facto de não registar as reparações efectuadas num avião com 11 anos de idade (!). Não obstante, erros metodológicos são insuficientes para provar a tese de atentado a que Ricardo Sá Fernandes se agrarra, num exercício que mais se adequa a um homem de fé do que a um homem de leis. Erros metodológicos não são sinónimo de acidente – a não ser que Sá Fernandes prove a existência de má-fé dos técnicos do Gpia.

Edgardo Pacheco - Editor de Política

NÃO

Durante 1995, tive o privilégio de integrar uma equipa de jornalistas que, na TVI, investigavam Camarate. Inês Serra Lopes e Miguel Ganhão Pereira foram os nomes maiores com quem tive a honra de, sob a direcção de José Ribeiro e Castro, partilhar esse trabalho apaixonante. Se Camarate foi acidente, o que fazia Lee Rodrigues com documentos forjados, na pista da Portela, horas antes da tragédia? Se Camarate foi acidente, a quem se destinava a bomba produzida a mando de envolvidos no esquema do tráfico de armas para Irão e Iraque?

Octávio Ribeiro - Chefe de Redacção
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)