Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
17 de Outubro de 2003 às 00:00
SIM
Tudo o que ajude a aliviar a dor e o sofrimento é bem-vindo, mesmo que para tal seja necessário recorrer a uma droga leve. Falamos de doentes terminais ou com dores crónicas graves, e em que a administração de canábis estaria sempre sujeita a prescrição médica. O que não faz sentido é um paciente desesperado, com dores insuportáveis, recorrer a esta droga e arriscar-se a ser multado e ver manchada a sua folha criminal. As leis devem conter uma boa dose de bom senso. Neste caso é fundamental.
Paulo João Santos, Editor de Sociedade
NÃO
O problema está no que se entende por “fins medicinais”. Uma enxaqueca justifica o consumo de canábis? E uma indigestão? Se o que está em causa é o alívio da dor, então existem inúmeros fármacos com essas propriedades.
A legalização da canábis pode ser a porta de entrada para muitas outras drogas. Com que legitimidade se legaliza a canábis e se proíbe o consumo de haxixe para os mesmos fins? E quem controla a sua distribuição e armazenamento? Existem demasiadas questões ainda sem resposta.
Miguel Alexandre Ganhão, Editor de Economia
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)