Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
8
25 de Fevereiro de 2003 às 00:00
SIM

É legítima e contagiante a dor dos familiares e amigos mais próximos de Carlos Cruz, envolvido num processo tão grave quanto inesperado, mas era de esperar mais cabeça e menos coração para que a Justiça possa cumprir o seu papel. Não é sensato desenvolver iniciativas que, ainda que indirectamente, possam interferir no trabalho de quem foi acusado de passividade, e mesmo de cedência a influências, e que agora parece querer recuperar o tempo perdido. A bem de uma Justiça igual para ricos e pobres.

João Monteiro - Subeditor de Portugal

NÃO

Os amigos de Carlos Cruz acreditam na Justiça. Sabem que, se o ‘senhor televisão’ for inocente – como garantem – os juízes o mandarão em paz. Nenhum deles deseja que Carlos Cruz seja libertado só porque um vasto conjunto de personalidades, de todas os sectores da vida social, se reuniu para manifestar a sua solidariedade para com um amigo. Como todos, querem que seja o Tribunal a decidir. A diferença é que nenhum duvida do resultado final: a absolvição.

Paulo João Santos - Editor de Sociedade
Ver comentários