Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
4
1 de Julho de 2003 às 00:42
SIM
Depois das crises de segurança alimentar causadas pela doença das “vacas loucas”, pelas dioxinas e pelos nitrofuranos, qualquer medida que permita identificar os produtos cárneos é positiva. Só com uma rotulagem transparente, com informações precisas sobre a espécie de carne, a sua região de origem e o seu modo de produção, será possível reforçar a confiança dos consumidores nas carnes. De outro modo, corre-se o risco de, sempre que há uma crise de segurança alimentar, entrar tudo em pânico.
António Sérgio Azenha – Jornalista
NÃO
Mais uma vez, a questão não se coloca a nível dos princípios mas sim da sua aplicação. E neste ponto é que, por assim dizer, “a porca torce o rabo”. Que garantia nos pode oferecer um rótulo, por muito informtivo que seja, se há falta de meios para verificar a sua veracidade? E como a fiscalização não funciona, não será pedir muito aos consumidores que se deixem ficar descansados à sombra do rótulo? Veja-se o que aconteceu com as “vacas loucas”, dioxinas e nitrofuranos nos frangos...
Rogério Chambel - Subeditor de Sociedade
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)