Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
4
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Carlos Anjos

Combate à corrupção

Os resultados conseguidos pela Unidade de Combate à Corrupção da PJ demonstram que para conseguir excelentes resultados não são necessárias novas leis. Basta vontade política e algum reforço de meios, principalmente humanos. <br/><br/>

Carlos Anjos 1 de Março de 2013 às 01:00

De uma vontade clara de combater o fenómeno da corrupção na saúde, foi possível otimizar recursos e os resultados são conhecidos: mais de uma dezena de detidos e um decréscimo de milhões de euros na fatura a pagar em medicamentos pelo SNS. E o que foi preciso fazer? Coisa pouca. Bastou o Ministério da Saúde controlar toda a prescrição de medicamentos. Assim que deteta qualquer desvio, comunica o caso à PJ, permitindo trabalhar em tempo real. E os resultados são os que se conhecem, e poderiam ser muito melhores se os meios humanos da PJ tivessem outra dimensão. Como há muito tempo defendo, a otimização do combate à corrupção faz-se por entidades de controlo a trabalhar efetivamente, monitorizando toda a atividade do Estado, como se está a fazer na Saúde, e a trabalhar em parceria com a PJ e o MP. Este é o caminho, o único.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)