Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
2
3 de Fevereiro de 2004 às 00:00
SIM
Em Portugal, o conceito de liberalização é completamente desvirtuado: o primeiro reflexo é o aumento dos preços no consumidor. O exemplo dos combustíveis é apenas mais um. E, para o automobilista, é indiferente se a culpa é das petrolíferas, dos revendedores ou do Estado. Cada vez que enche o depósito a carteira fica mais vazia. Ora, como o mercado não funciona, só há uma saída: acabar com a liberalização e fixar os preços.
Paulo João Santos - Editor de Sociedade
NÃO
O Estado tem um claro défice de fiscalização e o caso mais gritante tem a ver com o fisco. O efeito, como se sabe, é os justos pagarem pelos pecadores. O mesmo está a acontecer com os combustíveis: a liberalização devia conduzir a uma redução dos preços, mas a prática demonstra o contrário. O Estado, sem capacidade moralizadora, não consegue impedir comportamentos que furam as normas da livre concorrência.
João Monteiro - Subeditor de Portugal
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)