Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
8
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Armando Esteves Pereira

Confisco do IRS

Os dados da execução orçamental mostram a armadilha em que Portugal caiu. A austeridade além de destruir milhares de postos de trabalho todos os meses está a evaporar a receita fiscal e a complicar a tarefa de Vítor Gaspar.

Armando Esteves Pereira(armandoestevespereira@cmjornal.pt) 27 de Maio de 2012 às 01:00

Os impostos sobre bens de consumo como os automóveis estão em queda abrupta e a subida do IVA teve efeitos perversos, ao acentuar a queda da procura interna. A aumentar a arrecadação está apenas o IRS, que recai sobre cada vez menos trabalhadores e pensionistas. Nos 4 primeiros meses, as receitas deste imposto subiram 9,6%, para 3,165 mil milhões. Com a economia em queda, a pressão sobre o imposto pago pelos suspeitos fiscais do costume é reveladora dos grau de esbulho a que o Fisco chegou. E não há sinais de o confisco abrandar. A pressão fiscal acelera o empobrecimento dos portugueses.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)