Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
2
26 de Maio de 2011 às 00:30

Passou pelo consulado socrático a tecer louvaminhas à política económica e orçamental, a distrair-se ou a chegar tarde aos casos de supervisão que os contribuintes estão a pagar, a rever sistematicamente o optimismo das previsões e a prestar-se a um cacharolete de obséquios governamentais e de rábulas orçamentais (como o frete de inventar um "futuro défice conveniente", até à quarta (!) casa decimal, para "legitimar", em 2005, o logro de um programa eleitoral).

Agora, lá do pedestal do BCE, pronunciou-se sobre a nossa situação: "Portugal deve ir mais além das medidas acordadas com a troika." Com o ‘pormenor’ de não dizer como: mais impostos? Mais cortes sociais? Mais desemprego?

Duas ilações: Constâncio versão 2011 fulmina Constâncio versão 2000. E Constâncio pomba em versão português suave converte-se em falcão versão teutónico duro. Viva a constância!

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)