Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
1
19 de Julho de 2013 às 01:00

Para muitos esta é a oportunidade perfeita para provocarem a evolução de uma crise política para uma crise da política, pondo em causa a democracia. Temos de lutar de novo por ela.

Se a crise política tem custos sociais e financeiros, a crise da política consolida esses custos e pode torná-los irreversíveis.

Numa economia aberta e global o preço da incerteza, da desconfiança e do descrédito suplantam em muito qualquer custo associado a uma operação rápida de clarificação democrática, recorra ela ou não a uma devolução imediata da voz ao povo.

Este texto é publicado num dia que pode ser chave para a clarificação que se impõe. Espero que todos os agentes políticos e institucionais estejam à altura do momento. Com um País não se brinca. Os votos são a arma do povo. Uma arma para ser usada em sua defesa. Não para colocar a render em aplicações inconsequentes de demagogia fácil.
Roma não pode pagar a traidores.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)