Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
7
20 de Maio de 2012 às 01:00

S. João Crisóstomo escreveu: "Tu, que revestes a tua cama de prata e de ouro o teu cavalo, se te pedirem contas e explicações de tanta riqueza, que razão alegarás? Quando tu já estiveres morto, as pessoas que passarem diante do teu palácio, vendo o seu tamanho e luxo, dirão ao seu vizinho: ‘ao preço de quantas lágrimas foi edificado este palácio? De quantos órfãos deixados nus? De quantas viúvas injustiçadas? De quantos operários espoliados de seu salário’? Sim, nem morto escaparás das acusações"! Não é um texto meigo; porém, interpreta bem a genuína doutrinal social da Igreja.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)