Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
7
13 de Janeiro de 2011 às 00:30

SIM

A determinação política de Sócrates saiu reforçada e, sem ele pedir, o FMI não virá. Também ninguém pense que será fácil apeá--lo. Deu a volta ao destino nas eleições de 2009. É o único que fala por Portugal com os parceiros da UE e líderes do resto do Mundo.

João Vaz, Redactor Principal

NÃO

A situação das contas públicas de Portugal é grave ao ponto de um empréstimo de 1250 milhões de euros não ser mais do que um remendo num dique em jorra água de todos os lados. Infelizmente, só a intervenção do FMI poderá significar um novo início.

Leonardo Ralha, Editor de Cultura & On-line

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)