Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
7
29 de Abril de 2007 às 00:00
Fazendo contas aos 18 meses que Francisco Penim já leva no cargo, é curioso constatar que, desde então (Outubro de 2005) para cá, SIC e RTP têm andado muitas vezes com médias próximas e devem estar, até, tecnicamente empatadas no período d.P (depois de Penim). Ou seja, o terceiro lugar do serviço público de televisão era uma situação que não se questionava.
As privadas discutiam a vitória entre si e a RTP aparecia depois, no terceiro posto, o seu lugar crónico na fase a.P (antes de Penim). Mas o quadro mudou. Actualmente a SIC debate-se com uma questão muito relevante e já nem Balsemão deverá saber o que é mais importante: tentar uma aproximação ao líder ou investir para não cair no último lugar?
Em 2007 a SIC que prometia a vitória está, afinal, na cauda da tabela. Com valores modestos, na casa dos 25/26 pontos de share – praticamente em linha com o que vinha registando há um ano, por esta mesma altura. Mas, agora, sem o Mundial de Futebol – que viria a ter um forte impacto nos números da SIC e até para lá dos meses em que ocorreu – será naturalmente mais difícil chegar a Dezembro com uma média que satisfaça.
Para Penim, era fundamental que Abril tivesse corrido de outra forma. O ‘Paraíso Tropical’ está a revelar-se desastroso e a impedir que a novela que se lhe segue, ‘Páginas da Vida’, tenha o resultado que merece. ‘Floribella’, ainda em fase de arranque, teve um episódio extra: o desentendimento público entre a protagonista (Luciana Abreu) e o director da estação.
Penim já devia ter percebido, até pelo resultado da segunda emissão do ‘Exclusivo SIC’ (paz à sua alma), que não tem perfil de protagonista... Desta forma, o horário nobre continua por conta da ficção nacional da TVI, com um domínio mais ou menos esmagador, assente num mix de novelas que não permite qualquer veleidade à concorrência. E, voltando a Penim, se neste mês ainda conseguiu segurar o segundo lugar, já em Maio dificilmente repetirá o feito, arriscando chegar ao Verão com um atraso irrecuperável para a TVI e também um atraso considerável para a RTP.
Em Maio, a estação pública volta a ter futebol suficiente para terminar no segundo lugar. Uma meia-final (da Liga dos Campeões) e três finais (Taça UEFA, Liga dos Campeões e Taça de Portugal) devem chegar para vencer a SIC do ‘Fátima’, do ‘Contacto’ e das novelas. De José Eduardo Moniz não se fala. Não é deste campeonato.

O ‘Comando à Distância’ termina aqui. Foi um prazer fazê-lo durante 220 domingos consecutivos.
Ver comentários