Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
5
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Pedro Santana Lopes

Escolher bem quem está mais próximo

Para escolher bem é importante conhecer quem se propõe liderar e quem pode integrar a equipa.

Pedro Santana Lopes 9 de Agosto de 2013 às 01:00

Há quem goste de difundir a ideia de que as eleições autárquicas devem ser aproveitadas para exprimir o que se pensa sobre o Governo do País. Tenho dito nos vários concelhos onde tenho aceite convites para apoio a candidaturas que é uma má ideia.

No tempo que vivemos, de crise nacional e internacional, o Poder Local é o refúgio que devemos proteger. Se votamos nas autárquicas para castigar o Governo, podemos correr o risco de não termos nem o Governo que preferimos nem a Câmara Municipal ou a Junta de Freguesia que nos parecem mais capazes.

Numa crise como esta, principalmente fora das grandes urbes – mas também nelas –, importa ter nos órgãos autárquicos quem sabemos que é capaz, que trabalha, que ouve, que é próximo, que decide. São tempos difíceis e convém, pois, escolher ainda melhor os autarcas.

Para escolher bem é importante conhecer quem se propõe liderar, mas também quem pode integrar a equipa vencedora. Por exemplo, em Lisboa sabe-se que, com António Costa, no caso de vencer, será Fernando Medina o responsável pelas Finanças, Manuel Salgado pelo Urbanismo e Catarina Vaz Pinto a ficar com a Cultura. Ora, são igualmente essenciais os mesmos esclarecimentos quanto à equipa de Fernando Seara: quem fica com o Planeamento, o Trânsito, as Obras, para além dos outros pelouros já mencionados. Isso é ainda mais importante para quem é oposição e quer ganhar (este requisito é fundamental…).

No caso do Porto, a disputa parece ser a três, mas é principalmente para os que estejam indecisos entre Luís Filipe Menezes e Rui Moreira que pode ser ainda mais relevante saber quem é quem, em cada uma das listas. Na verdade, ambos os candidatos tentaram disputar, por exemplo, elementos da equipa de Rui Rio e/ou militantes destacados do PSD e CDS. A esse propósito, tudo parece algo confuso, sendo ainda mais relevante a tarefa de esclarecer.

Esta orientação, aplica-se naturalmente a todo o País, num tempo, como referi, em que as autarquias, mesmo com menos dinheiro, são cada vez mais importantes na vida das comunidades.

NOTA: Por lapso, foi publicado hoje na edição em papel do CM, na página de Pedro Santana Lopes, ‘As Fases da Lua’, uma troca de fotografias. Em ‘Lua Cheia’ deveria estar Pires de Lima em ‘Lua Nova’ Joaquim Pais Jorge. Publicamos abaixo a devida correção.

DE PIRES DE LIMA ATÉ PAIS JORGE

LUA CHEIA

Boa entrada

Pires de Lima Entrou bem no cargo. Com os portos para cruzeiros em Portimão e Faro e com o Revitalizar para as PME. E com ar descontraído e simpático.

 

QUARTO CRESCENTE

Mais emprego

Pedro Mota Soares Bela notícia para o Ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social a da evolução da taxa do desemprego. A sazonalidade não explica tal melhoria.

 

QUARTO MINGUANTE

Nova polémica

José Mourinho O treinador volta a envolver-se em mais polémicas. Não me pareceu mal-intencionado com Ronaldo. Mas se há equívoco, deve logo esclarecer.

 

LUA NOVA

Qual será o futuro

Joaquim Pais Jorge Antes banqueiro toda a vida do que Secretário de Estado um mês. Voltará o antigo Secretário de Estado do Tesouro para a Parpública?

Pedro Santana Lopes As Fases da Lua eleições autárquicas Governo
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)