Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
1
21 de Abril de 2007 às 00:00
Eu, Pinto da Costa, sou mágico.
Eu, Pinto da Costa, ‘transformei empregada de alterne em escritora’!
Fui ‘eu’ que transformei. Não foi o Luís de Matos nem nenhum mágico de segunda.
Quando ‘entrei’ no Calor da Noite já sabia que ia encontrar a mulher dos meus sonhos. Quando lá ‘entrei’ e peguei na mão de Carolina vi logo tinta a correr-lhe nas veias. Através do tacto, a sensibilidade poética da Agustina Bessa-Luís. ‘Sinto-me’ muito vaidoso por isso.
Fui ‘eu’, Pinto da Costa, e mais ninguém, que fiz da Carolina a ‘primeira-dama’ do FC Porto. Fui eu quem a coloquei à frente dos Superdragões. Nem os mágicos que foram mostrar os seus dotes aos programas do Herman José seriam capazes, todos juntos, de fazer aquilo que fiz. O melhor que conseguiram foi deixar o Herman embruxado e o Gato com o rabo de fora.
Poderia ter resguardado a Carolina e não misturar a vida de presidente do FC Porto com as paixões e a vida privada. Isso teria sido fácil. Mas ‘ousei’. ‘Ousei’ trazer as mulheres para o púlpito presidencial. Ela poderia ter ficado em casa quando ‘fui’ beijar a mão ao Papa. Mas ‘sou’ católico e, nessa altura, achei que a viagem ao Vaticano poderia ser uma inspiração para quem já revelava, claramente, verve de escritora. Não foi capitulação. Foi sentimento (de) cristão. ‘Levei-a’ para a tribuna do Dragão. Uma potencial escritora deve ter pelo menos tanta visibilidade quanto a tiveram todos os políticos que se sentaram a ‘meu’ lado, no velhinho Estádio das Antas. Tanto se falou do ‘meu’ envolvimento com a Maria Elisa, uma mulher da comunicação, da palavra e das letras, e vejam lá se ‘eu’ não tive o discernimento de ‘separar as águas’. Só as más-línguas dizem que o discernimento foi dela.
Entre estes 25 anos de presidência ‘fui’ capaz de, em quase duas décadas, não deixar que as mulheres dispersassem a atenção do ‘general’ e do ‘exército’. Acham lógico que, por causa dela(s), ‘pusesse’ em causa a vitória numa ‘guerra’? Acham lógico que, por causa dela(s), ‘pusesse’ em causa o mérito que está por detrás da conquista de 14 Campeonatos (o 15.º está quase no papo!), 15 Supertaças, 9 Taças de Portugal, 1 Taça dos Campeões, 1 Liga dos Campeões, 1 Supertaça Europeia, 1 Taça UEFA e 2 Taças Intercontinentais?
É por isso que ‘digo’: ‘No Apito Dourado não há crimes!’ E ‘digo’ mais: ‘No processo, pode haver muita coisa que não é correcta...’ Mas ao ponto de se considerar ‘crime’! Também digo: num País em que poucos dão o exemplo, em que o ‘major’ diz que a Lei se fez para ser contornada, com a porcaria que se vê nos partidos, na política, nos governos e na oposição, nos esquemas que se fabricam noutras actividades, como nos sectores da construção civil e da indústria farmacêutica, com a suspeição a minar o tecido da Banca e da própria Magistratura, Pinto da Costa não deve ser considerado um grande mágico?
‘Eu’ quis poupar 500 mil euros para ajudar a endividar o ‘Orelhas’. Sendo ele o editor do livro escrito escorreitamente pela Carolina, prefaciado pela Leonor, ‘eu’ já sabia que o risco era mínimo: as invenções fazem parte do negócio. Eu já sabia, à partida, que ninguém ia acreditar nela, reconhecendo todavia a sua grande qualidade de romancista. E era isso precisamente que ‘eu’ queria. A Morgado acabará por me dar razão (nunca pedi nenhum favor aos árbitros ou contribui para a adulteração das classificações) e, por isso, posso dizer que ‘estou’ Felícia. Agora que o sol começou a brilhar, tenho de ‘chutar’ o Domingos Matos e ajustar contas com o ‘JN’. Não, ‘JN’ não é de ‘Jornal de Notícias’; ‘JN’ é de Jorge Nuno. Também fizeram essa confusão com o ‘JP’. Pensavam que era o Jacinto Paixão e era o Joaquim Pinheiro.
‘Fiz-me’ entender?
NOTA – Luís Filipe Vieira saiu do hospital para dizer que o Benfica está de saúde. E quer substituir a falta de vitórias no Campeonato, na Taça de Portugal e na Taça UEFA pela ‘vitória’ no ‘empréstimo obrigacionista’. Irra que é de mais!
NOTA 1 – Domingos Soares de Oliveira diz que ‘o Benfica tem uma situação financeira invejável’ e que não precisa de vender jogadores para equilibrar as contas. Obviamente, o passivo é uma cabala!
NOTA 2 – ‘Já não há bilhetes’ para aturar as ‘birras’ de Paulo Portas. Esta semana, Ribeiro e Castro deu-lhe uma goleada.
NOTA 3 – O caso da licenciatura de Sócrates coloca uma questão sobre o papel (e a qualidade) do Ensino Superior: quantos ‘casos Sócrates’ há mais neste país de ‘doutores e engenheiros’?
NOTA 4 – As revelações ‘bombásticas’ da UNI foram desmanteladas pela ONU?
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)