Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
5
3 de Julho de 2012 às 01:00

SIM

Não foi, como no Mundial 2010, autor do golo decisivo do título, mas teve presença mais forte do que Xavi, na regência de maestro no futebol da selecção espanhola. Brilhou frente a Portugal, no único jogo em que a ‘Roja’ não logrou marcar.

João Vaz, Redactor principal

NÃO

A grande estrela acabou por ser Casillas. Em seis jogos, a Espanha sofreu apenas um golo e, nos momentos mais complicados, como frente à Croácia ou Portugal, o seu capitão surgiu em grande. E sem sofrer fica mais fácil vencer.

Hugo Real, editor de TV&Media

 

Ver comentários