Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
14 de Maio de 2011 às 00:30

O jogo teve duas partes: na primeira, Portas manobrou e teve bons argumentos, mas, na parte final e no prolongamento, deslumbrado pela retórica, acabou por assumir, como propostas suas, reformas que, constitucionalmente, só podem ser assumidas, pelo menos, com o acordo entre os três partidos do arco da "troika". Mas ambos demonstraram que são uma das faces da moeda do situacionismo.

PASSOS COELHO 

POSITIVO: Sem ataques

Soube demonstrar o irrealismo das propostas de Portas, sem o acusar de clientelismo ou de caciquismo

NEGATIVO: Defensivo

Deixou enredar-se numa moderação defensiva que quase nos fez parecer que tinha comandado o governo nos últimos seis anos

PAULO PORTAS

POSITIVO: Estratégia

Conseguiu aproveitar os argumentos antipassistas vindos do PS e atacar o PSD à esquerda, ao centro e à direita

NEGATIVO: Olhar de frente

Não foi capaz de olhar de frente para o adversário quando teve consciência de ter ultrapassado os limites da prudência

Ver comentários