Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
4
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Joana Amaral Dias

Grande fita

Há semanas que o País vive num quarto escuro a assistir a um suspense série B. Na tela, Sócrates e Passos Coelho envolveram-se em ataques e dramatismos, encenando uma insanável divergência sobre o Orçamento.

Joana Amaral Dias 23 de Outubro de 2010 às 00:30

Muitos comentadores acreditaram (ou fingiram) e projectaram várias outras ficções, desde governos de salvação nacional a duodécimos, passando por Jaime Gama a formar governo. Tudo para que a plateia achasse que o problema era a aprovação do documento e não o Orçamento propriamente dito. Mas calma. Desde o princípio que apenas se tratava de um filme. Um muito mau filme.

Daí que as propostas do PSD em pouco se distingam das do Governo. Por isso, já há delegações de negociação. Nove vezes fora, o acordo continua a ser provável pois nenhum deles, em nenhum momento, se moveu pelos interesses do País.

Nem sequer pela dívida pública: à conta de fazerem tanta fita, o seu preço regressou aos níveis anteriores à apresentação do Orçamento. A ópera bufa oferecida em horário nobre serviu apenas para que não repartissem entre si os custos políticos das medidas que irão deixar muitos portugueses na miséria. Só serviu interesses eleitorais. E é a estes dois irresponsáveis actores que estamos entregues num momento tão difícil? Que desespero.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)