Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
3
20 de Maio de 2012 às 01:00

Em 2004 a AMA, associação norte-americana de marketing, definia-o: ”é uma função organizacional e um conjunto de processos que dizem respeito à criação, à comunicação e ao fornecimento de valor aos clientes e também à gestão das relações com o cliente, de forma a beneficiar a organização e todas as suas partes interessadas (stakeholders)”.

Hoje o consenso entre especialistas está feito: o marketing é relacional ou não é marketing.

E no vasto conjunto de relacionamentos a gerir há em primeiro lugar que considerar os stakeholders (clientes – fiéis e esporádicos –, empregados, fornecedores, concorrentes, associações sectoriais, autoridades, vizinhos), sabendo que eles integram a vasta comunidade onde cada instituição vê evoluir a sua imagem e reputação.

A operação Pingo Doce do 1º de Maio poderá ter incomodado vários destes stakeholders, com potencias consequências negativas para a sua reputação institucional, que a organização parece mostrar agora, com a nova promoção, estar a tentar corrigir, pelo menos parcialmente. 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)