Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
7
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

F. Falcão-Machado

Impostos grátis?

Não há almoços grátis" é uma expressão muito do gosto de políticos e economistas do mundo inteiro. Significa que todos os benefícios têm uma contrapartida, que em muitos casos não é evidente. O mesmo se pode dizer em relação às medidas fiscais de um governo: não há impostos grátis.

F. Falcão-Machado 4 de Novembro de 2011 às 01:00

À primeira vista, ao promover uma transferência de fundos dos particulares para os seus cofres por via dos impostos, o Estado está apenas a colher um benefício. Nem sempre porém são levados em linha de conta todos os efeitos secundários da arrecadação tributária, qualquer que seja a sua máscara – um corte na despesa pode ocultar, por vezes, um aumento de impostos.

As Finanças conhecem bem a chamada "anestesia fiscal do contribuinte", cujo efeito passa quando os impostos sobem demasiado. E se as curvas de elasticidade desse processo se tornarem muito rígidas, ele pode até ser contraproducente em termos de justiça social.

Isso sucede quando, fa-ce à ameaça do Fisco, as pessoas preferem suspender actividades económicas já de si pouco produtivas e abrigarem-se à sombra dos dispositivos do Estado Social.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)