Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Octávio Ribeiro

Indícios de mudança

Um partido no Governo que continua a descolar-se do maior partido da oposição nas sondagens. E um ministro das Finanças que lidera a tabela de popularidade. Eis duas originalidades da democracia portuguesa nesta era Sócrates/Marques Mendes.

Octávio Ribeiro(octavioribeiro@cmjornal.pt) 14 de Setembro de 2006 às 00:00
A sondagem que o CM hoje publica acentua a ideia de que o Governo, no seu conjunto – muito graças ao carisma e agilidade mediática de José Sócrates –, continua a prolongar um já intrigante estado de graça.
Agitações sindicais orquestradas pela esquerda passadista e protestos corporativos aparecem isolados na imagem global dos cidadãos do País. Ainda bem. Portugal precisa de reformas profundas e ninguém volve gordura em músculo sem sacrifícios.
O primeiro lugar de Teixeira dos Santos na lista da popularidade dos ministros indicia uma mudança no olhar dos cidadãos para com o patrão do Fisco. Se a esta nova valoração corresponder uma nova visão sobre as obrigações de todos para com o País e uma censura social aguda sobre os que escapam ao Fisco estamos no bom caminho.
Os últimos lugares na popularidade cabem à ministra da Educação e ao seu colega da Saúde. Uma aparente contradição entre a imagem positiva do Governo e a valoração sobre os seus ministros mais reformistas.
Estarão a pagar o péssimo simbolismo do fecho de escolas e maternidades.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)