Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
9 de Abril de 2011 às 00:30

Por isso uma e outra têm sofrido a degradação provocada pelos defensores da sociedade de consumo.

Uma e outra são tratadas ao mesmo nível das instituições--serviço exigindo-se-lhes produção independentemente dos valores que estão na base da sua existência.

Nem a Escola nem os Tribunais têm por função justificar a existência da sociedade consumista ou dar cobertura a todos e quaisquer interesses de um dado momento sócio-político. Uma e outra prestam um relevante serviço à comunidade inseridos respectivamente em estruturas cuja utilização deve ser para os cidadãos o lugar primordial da definição dos mais importantes valores da ciência, da cultura e da justiça e, como tal, pólos possíveis de identidade e de desenvolvimento integral.

Diluir as instituições-identificadoras no grande caldeirão das instituições-serviço degradando o papel daquelas e o estatuto dos seus titulares é comprometer o futuro do País e da democracia.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)