Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
2
1 de Abril de 2006 às 00:00
Agora, ao quilómetro não sei quantos, apareceu o rato de Cabrera, raro. Para avançar, a empresa Estradas de Portugal precisa de estudos. Segundo o presidente, o rato irá atrasar o novo traçado lá para “nunca antes de 2011.”
Eu, bruto, sou pela estrada já. Primeiro, porque ajudava a atropelar os ratos, raros ou não. Depois, porque tanto proteccionismo esquece uma espécie em vias de extinção: o homem do Nordeste Transmontano. Aquele que é protagonista de notícias que parecem do 1.º de Abril e não são.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)