Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
8
25 de Fevereiro de 2003 às 00:00
Simão era a escolha óbvia para figura da jornada. Apesar do passe a isolar Rui Miguel, foi ele quem liderou a revolta benfiquista em Setúbal. Marcou um golo de livre, outro de penálti e mais um em contra-ataque. Ainda conseguiu um cruzamento que obrigou a autogolo e, enfim, ‘ajudou’ Diamantino a vestir o fato-de-treino.

Como se não bastasse, Simão lidera tabela de melhores marcadores e nunca marcara tanto numa só época. Excepcional, para quem nem sequer é ponta-de-lança. Os bons momentos do número 20 confundem-se cada vez mais com as subidas de forma da equipa.
É claro que Simão foi um dos nomes mais pronunciados no fim-de-semana, mas peço licença para falar de Jankauskas, o mais especial dos jogadores desta SuperLiga.

Contratado para enfraquecer o Benfica e reforçar o ataque do FC Porto, Jankauskas merece bem o título de mais eficaz do campeonato. O lituano participou em todas as partidas da equipa de José Mourinho, mas jogou menos de mil minutos e nem sequer entra nos onze mais tempo utilizados pelo treinador.

No entanto, Jankauskas é o segundo melhor marcador da equipa, com oito golos, apenas menos dois do que Hélder Postiga. Marca sempre nos últimos 20 minutos, passou a ser a alegria dos adeptos. Quando ele entra, o golo passa a ser mais provável. Um tão grande rendimento da parte de quem vem do banco só pode ser sinal de muita paciência, concentração e grande profissionalismo.
Ver comentários