Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
9
15 de Fevereiro de 2007 às 00:00
SIM
A orientação do procurador-geral da República no sentido da suspensão provisória dos processos contra as mulheres que praticaram abortos é uma medida de elementar justiça. Depois do resultado do referendo, e sendo um dado adquirido que a despenalização será um facto, que sentido faz manter os processos?
José Rodrigues, Subeditor de Política
NÃO
Se se realizar um referendo sobre a eutanásia e a resposta for ‘sim’, também vão ser suspensos os processos sobre quem ajudou a morrer? E se os eleitores disserem ‘sim’ num referendo sobre a liberalização das drogas, acontece o mesmo? Não creio. Então, por que razão um tratamento especial para o aborto, cuja lei actual criminaliza?
Paulo João Santos, Grande Repórter
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)