Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
4
11 de Outubro de 2005 às 00:00
Às pinguinhas, cobria tudo desabrigado, quando passava a gotas grossas e violentas, jorrava da frente da montra ao fim da rua. Lembrei-me de um velho filme de Gene Kelly, também caía água assim, mas pensei que efeitos especiais desses, só em Hollywood.
Os clientes do café correram para a porta. Lembrei-me de um conto de ficção científica de Ray Bradbury em que se anunciava a volta de coisa antiga e há muito desaparecida, a luz do Sol. Ao meu lado, uma velha olhou a água toda, cheirou o cheiro também estranho, bom e húmido, e lembrou-se:
“Chuva”. Um mito, portanto.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)