Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
3 de Maio de 2005 às 00:00
A vitória do Sporting em Braga teve muitas virtudes para além dos três preciosos pontos que valeu. A saber: foi conseguida na casa de umas das melhores equipas do campeonato, já sob a pressão dos triunfos do Benfica e do FC Porto; constituiu o afastamento da corrida pelo título de um candidato legítimo e supermotivado; foi obtida sem muitos dos habituais titulares, entre eles o melhor marcador da Superliga, Liedson; e resultou de uma exibição notável de Maurício Pinilla, um goleador que até ao importante golaço frente ao AZ Alkmaar só fazia número e que, depois do ‘hat--trick’ de domingo, mostrou que ainda pode vir a ser uma mais-valia nos derradeiros jogos da temporada.
José Peseiro arriscou de mais na gestão do plantel – Mourinho também teve de fazer poupanças quando ganhou tudo no FC Porto e, no mesmo jogo, nunca deixou de fora sete habituais titulares –, mas foi feliz. E os campeões também se fazem de apostas arriscadas. Agora, só tem de saber capitalizar este facto dentro do balneário e motivar os jogadores leoninos para as cinco partidas (três de campeonato e duas de UEFA) do tudo ou nada. Para que não se repitam os inexplicáveis deslizes cometidos frente ao Penafiel e à Académica, para citar só os mais recentes: com os quatro pontos esbanjados, os ‘leões’ eram líderes e até se podiam dar ao luxo de ir empatar à Luz. E pelos (bons) resultados do Sporting entre os quatro primeiros – 10 pontos, contra 8 do FC Porto e 3 do Benfica – o adversário mais perigoso até pode ser mesmo o V. Guimarães, empenhado em manter o acesso às competições europeias conquistado ontem frente ao Penafiel.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)