Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
1
7 de Dezembro de 2004 às 00:34
É difícil escolher o melhor em Liedson. Podemos preferir a agilidade, a astúcia, a movimentação inteligente, a eficiência, até o sentido de humor, como naquele dia em que caiu na relva para responder a Jaime Pacheco. O sportinguista é um encanto para os médios, aqueles cuja função é encontrar veredas que os adversários nem sonham existir. Liedson é o desejo tornado realidade. Com ele o campo parece mais largo e mais profundo. Como nenhum outro avançado em Portugal, Liedson parece capaz de estar em todo o lado ao mesmo tempo. Podemos vê-lo a responder a um cruzamento longo bem pensado de Pedro Barbosa, mas também não sentimos surpresa quando a situação se inverte e é o ponta-de-lança a isolar, da lateral, o criativo.
Liedson assemelha-se a um descobridor. Preocupado em fazer luz sobre caminhos sempre diferentes, dar linhas de passe, inventar finalizações cada vez mais simples e eficazes. Numa altura em que os treinadores dos principais clubes vivem obcecados em gerir o plantel, Liedson é o único que nunca sai. Na verdade, ele é a alma do Sporting. E, pelo menos para já, o jogador mais útil do campeonato. Além do melhor marcador, claro.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)