Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
9
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

F. Falcão-Machado

Livros e futuro

Qual vai ser o futuro do livro impresso? É esta a pergunta que hoje, Dia Mundial do Livro, se formula. A enorme facilidade de comunicação por via electrónica que está na base do fenómeno universal da globalização, aliada aos constantes progressos da técnica, oferece hoje poderosos instrumentos de divulgação da informação e do saber.

F. Falcão-Machado 23 de Abril de 2010 às 00:30

Porém, o reverso da medalha envolve interesses cuja dimensão também merece ser tida em conta. É o caso, nomeadamente, da edição tradicional, tanto de livros como de jornais, que enfrenta um desafio capaz de pôr em jogo a sua sobrevivência.

Não será este o espaço indicado para debater o tema, mas é certamente possível identificar alguns dos seus contornos mais relevantes. Em primeiro lugar, é natural que a palavra decisiva sobre a questão continue a pertencer aos grandes vultos da indústria editorial e à sua capacidade de adaptação; em segundo lugar, os meios técnicos disponíveis permitem, hoje, a qualquer pessoa, editar digitalmente as suas obras e lançá-las no mundo imenso da Net; finalmente, o livro em papel terá garantida a sua sobrevivência ainda por muito tempo, pois, para vasta gama de leitores, o gosto pela posse física de um livro continua a ser algo que nenhum artifício electrónico poderá substituir.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)