Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
6
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Armando Esteves Pereira

Mais contas a pagar

Miguel Cadilhe fez bem em pedir um prémio de 10,8 milhões de euros aos accionistas da SLN para liderar o grupo caído em desgraça pela gestão de Oliveira e Costa. Afinal, o ex--ministro das Finanças, ao decidir entrar na aventura do BPN, abdicava de um prémio de reforma equivalente no BCP.

Armando Esteves Pereira(armandoestevespereira@cmjornal.pt) 7 de Junho de 2009 às 00:30

Os accionistas da SLN também agiram no seu direito ao escolherem uma figura de prestígio para tentar salvar o grupo. Mas, pelas malhas que a nacionalização do BPN teceu, quem acaba por pagar o fabuloso prémio de gestão são os contribuintes. Cada cidadão português, mesmo os recém-nascidos, contribui com 1,08 euros para a dourada reforma do gestor que poucos meses ficou na holding arquitectada por Oliveira e Costa. A conta de Cadilhe deveria sim ser imputada à SLN, que não foi nacionalizada.

'Vocês são vítimas é de quem vos enganou, e é aesses que têm de pedir contas, não é aos contribuintes portugueses', disse o ministro Teixeira dos Santos quando foi barrado num hotel de Lisboa por clientes do Banco Privado. O ministro tem razão, mas as autoridades também criaram expectativas aos clientes.

O processo judicial contra Madoff nos Estados Unidos deverá ficar resolvido este mês. Por cá, do BPN só Oliveira e Costa está na prisão. E no BPP só agora Morgado está no encalço de Rendeiro.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)