Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
3
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Mário Nogueira

Marcha atrás

Apesar de todos os problemas e dificuldades, a Educação tem hoje maior importância na nossa sociedade do que há 40 ou 50 anos. Diz-se, em jeito de crítica, que dantes é que era bom, mas sabe-se que não era assim.

Mário Nogueira 4 de Julho de 2012 às 01:00

A escola deixava muitos de fora, não incluía os que tinham necessidades educativas especiais, fazia uma seleção elitista determinando os que seguiam para o liceu e os que tinham de se contentar com a escola técnica, muitas vezes por razões de ordem económica ou social. Era o tempo do exame logo na 4ª classe, do castigo como regra, da segregação, das turmas numerosas, das disciplinas nobres e das outras, das metas de aprendizagem estabelecidas ano a ano. Entretanto, as coisas evoluíram: o acesso democratizou-se, os ciclos vieram respeitar ritmos de aprendizagem, criaram-se apoios adequados às dificuldades dos alunos e só não se evoluiu mais porque o investimento foi sempre refém de outras prioridades. Com Crato, o senso comum tomou conta da Educação, o discurso passadista tornou--se tónica oficial e o retrocesso escreveu muitas páginas do Diário da República. Os resultados, não tarda, estarão à vista.

(Coluna segundo as regrasdo Acordo Ortográfico)

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)