Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
4
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Eduardo Dâmaso

Matar a vontade

Tornou-se moda investigar os investigadores. Agora, parece ter chegado a vez de Rosário Teixeira. Ontem, Pinto Monteiro veio corrigir o tiro.

Eduardo Dâmaso(eduardodamaso@sabado.cofina.pt) 26 de Dezembro de 2011 às 01:00

O processo aberto, afinal, é contra incertos. Tenta, assim, dizer que não tem uma suspeita concreta sobre Rosário Teixeira e que ela é geral e abstracta. A acção, porém, vai ao encontro de uma corrente situada na advocacia influente e ligada aos negócios do Estado que há muito pretende uma expedição punitiva contra certos polícias e magistrados. Eles sabem que não há melhor arma do que matar a vontade de quem combate o crime. E ela mata-se com processos, inspecções e coisas do género, essa arma mortal para o Estado de Direito Democrático.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)