Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
9
23 de Dezembro de 2003 às 00:00
1– O FC Porto ganhou em Alverca, como Sporting e Benfica haviam feito antes. Foi uma vitória sem grande história, excepto a lamentável lesão de Derlei e o peru de Vítor Baía. Este, de nível Europeu.
2 – Os dirigentes do Sporting contam sete penáltis não marcados a seu favor esta época e com esta contabilidade criativa pretendem maquilhar o óbvio: que a equipa vive aos soluços, dependente dos favores e desfavores dos árbitros. Foi-se a UEFA, foi-se a Taça de Portugal e, mais dia menos dia, vai-se o campeonato. Pelo caminho, as convicções de Fernando Santos esboroam-se ao sabor dos ventos. O episódio de Rochemback é elucidativo. O médio brasileiro foi convocado para o torneio pré-olímpico em sub-23 e Fernando Santos estendeu-lhe o tapete vermelho: ele, o jogador, que decidisse se deveria ou não ir. Há anos que não se via uma decisão tão generosa em Alvalade: delegar num futebolista os superiores interesses do clube. Pouco importa que o próximo embate seja com o Benfica e que o Benfica esteja em terceiro lugar, a um ponto de distância. Isso são coisas miúdas nas contas do eng. Santos. Já sabíamos que ele era um fraco estratego, agora ficámos a saber que ele é um fraco administrador (não estarão as duas características ligadas?).
3 – Os elogios a Erwin Sanchez pareceram-me sempre muito exagerados: no relvado, o Boavista é apenas uma equipa cinzentona e defensiva. Uma versão muito piorada dos soldadinhos de chumbo de Jaime Pacheco. Os números são cristalinos: 14 golos em 15 jornadas é um resultado magríssimo. Pior só mesmo a Académica, o Moreirense, o Paços de Ferreira e o Estrela da Amadora. Por sinal, todos eles candidatos à descida à Liga de Honra. Por que será?
4 – O Estrela da Amadora não é só a pior equipa da SuperLiga: nos últimos anos nenhum outro clube jogou tão mal e pareceu tão incapaz de enfrentar os adversários. Quarenta golos sofridos em 15 jogos é um pesadelo para os sócios do Estrela e um bálsamo para os avançados: após oito meses de pólvora seca até Nuno Gomes voltou a marcar.
5 – Há uns bons anos, os jornais italianos mais provincianos falavam do Boavista como a equipa das camisolas esquisitas. Hoje, são os portugueses que falam dos turcos do Gençlerbirligi com idêntico desdém. É assim que nos colocamos perante o mundo: somos os turcos da Europa. Alguém sabe como soará V. Guimarães em polaco?
P.S. Hugo Viana e Fyssas não vão poder estrear-se no ‘derby’ lisboeta por questões burocráticas. Somos assim, um País de regras pequenas. Bom Natal
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)