Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
2
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Carlos Garcia

Mota Amaral e a PIDE

O Dr. Mota Amaral, para justificar as incompreensíveis decisões na Comissão de Inquérito ao caso TVI, criticadas pela maioria dos elementos da Comissão e talvez pela maioria dos portugueses, comparou o trabalho da PJ ao da PIDE.

Carlos Garcia 27 de Junho de 2010 às 00:30

Sei, porque faz parte da memória da PJ, que após o 25 de Abril nenhum dos seus funcionários foi perseguido e preso, nem acusado de cometer qualquer atrocidade, em prol do chamado regime fascista. No 25 de Abril, a PJ não fechou as portas e no dia 26 o MFA já lhe atribuía competências para a investigação de crimes "contra-revolucionários".

A PJ pautava a sua actuação, tal como hoje, no estrito cumprimento da lei e são conhecidos os inúmeros conflitos que teve com a PIDE, que tiveram como consequência ‘castigos’ de transferência para as ex-Colónias de muitos dos seus funcionários. A comparação agora feita ofende a PJ e os seus funcionários. Mesmo que tenha algo pessoal contra a PJ, não devia ter deixado que essas questões lhe turvassem o espírito. O que era expectável é que tivesse procedido como a PJ sempre procede: contribuir para o esclarecimento da verdade, contra todas as pressões. Preferiu fazer o contrário! Não admira que o prestígio da nossa classe política ande pelas ruas da amargura…

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)