Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
28 de Fevereiro de 2006 às 00:00
Mourinho tem razão. O futebol por estas bandas “não é são, nem limpo”, como em Inglaterra e no Norte europeu, onde os jogadores se batem até à exaustão, mas respeitam o adversário, sem truques. E os que infringem esses códigos desacreditam-se e são apontados a dedo.
Sem um mínimo de ‘fair-play’, o jogo é uma selva. Não se entende que profissionais não hesitem em tramar um colega, física e/ou disciplinarmente, fingindo quedas e lesões, enfim, enganando o árbitro, o público e o espírito do jogo. Não se entende e grave é que, entre nós, isto seja uma questão cultural.
Os árbitros ‘deixam-se’ enganar com a palhaçada do ‘apagar’ cartões, treinadores e dirigentes industriam e incentivam os jogadores a usar truques, jornalistas em geral, aplaudem e elogiam estes manhosos.
Quem finge um penálti origina uma expulsão enganosa ou provoca o adversário, para que este reaja, ‘arrancou’ isto, ‘cavou’ aquilo, ‘matou’ o jogo. Leiam as declarações de Liedson sobre como ele “expulsou” Pedro Roma, “matou” o jogo. Tudo combinadinho com o “banco”. Vale um tratado.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)