Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
2
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

João Pereira Coutinho

Na prateleira

O melhor do 5 de Outubro foi ver a elite política a torrar ao sol. Deus não dorme: quem celebra a instauração de um regime de violência que durou 16 anos, e que no essencial preparou o país para os 48 anos seguintes de ditadura, merece sofrer um bocado.

João Pereira Coutinho 7 de Outubro de 2011 às 01:00

Mas o melhor veio a seguir: o discurso de Cavaco Silva onde, no meio dos ‘sacrifícios’ e das ‘ilusões’ (o velho fandango), o chefe de Estado foi claro: a Europa pode ser um aglomerado de mercados; ou pode ser um projecto mais ‘coeso’ e ‘solidário’, o que permite imaginar uma estrutura federal, ou aparentada, onde os estados vão cedendo ainda mais autonomia.

Não vale a pena comentar o óbvio: ouvir o próprio Presidente da República a defender a diluição crescente da nossa soberania num sistema político supranacional dispensa qualquer elaboração. Mas talvez não fosse inútil explicar ao Presidente que, se esse dia chegar, o cargo que ele ocupa será o primeiro a ser remetido para a prateleira das inutilidades.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)