Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
6
8 de Novembro de 2005 às 00:00
Este campeonato está a ficar cada vez mais parecido com o último: à décima jornada, o Nacional da Madeira segue no segundo lugar a meros dois pontos do líder, o Sp. Braga, cortesia do rival Marítimo. A equipa de Manuel Machado não tem qualquer semelhança com o Nacional da época passada (12.º lugar), antes com o V. Guimarães – anterior clube do agora técnico nacionalista –, que conseguiu um lugar nas competições europeias com uma sensacional segunda volta. Está lá tudo: rigor, paciência, organização e uma rara capacidade de aproveitar os erros adversários. O futebol do Nacional não vive de estrelas: assenta na solidez defensiva (apenas quatro golos sofridos, sempre na Choupana, sete jogos a zero) e é claramente talhado para situações de contra-ataque. Talvez não encha os olhos e em certos aspectos assemelha-se a uma equipa italiana – mas é muito eficaz.
O Sporting que o diga, perdeu este ano 2-1 e na época passada por 3-0. Há três anos, Casimiro Mior levou o Nacional ao quarto lugar final da tabela classificativa. Aparentemente, Manuel Machado tem condições para fazer o mesmo. Com outro sistema, com outros jogadores, com outra lógica. O futebol português está mesmo mais equilibrado.
Ver comentários