Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
9
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

César Nogueira

Não aceitamos

Para os cortes nos direitos somos funcionários públicos. E o direito a um horário de trabalho?

César Nogueira 13 de Outubro de 2013 às 01:00

Parece que o Governo pretende, no Orçamento de Estado de 2014, proceder à revisão da tabela salarial única da função pública e, ao mesmo tempo, proceder a cortes nos vencimentos, que deixarão de ter caráter temporário, como se tem "vendido" e passarão a ser definitivos, tratando-se de um corte de 10% nos salários superiores a 600 €.

A tabela salarial em vigor nunca foi integralmente cumprida na GNR, havendo muitos milhares de euros em dívida aos profissionais em retroativos, sendo que a APG intentou uma ação em tribunal sobre esta matéria, estando a aguardar decisão. Agora, a esses valores, retirar ainda 10% é algo que está na ordem do inqualificável. Já sabemos que, no entendimento de quem manda, para os cortes nos direitos somos funcionários públicos.

Então venham de lá os direitos também, tais como o direito a um horário de trabalho. Quanto ganharemos a menos para andar nas ruas a arriscar a vida, cada vez com menos meios? Não aceitamos. Os profissionais da GNR não aceitarão mais medidas deste tipo – e farão oportunamente ouvir o seu sentimento de protesto.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)