Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
8
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Miguel Alexandre Ganhão

Não acreditam

É difícil e é injusto, mas o mundo financeiro não acredita em nós.

Miguel Alexandre Ganhão(miguelganhao@cmjornal.pt) 19 de Setembro de 2013 às 01:00

Sim, nós portugueses, que perdemos o subsídio de Natal em 2011, que cortámos salários, que criámos uma contribuição de solidariedade para todos os reformados que ganhem acima de 1350 euros, e que nos propomos cortar, em nada menos que 10 por cento, as pensões dos funcionários públicos, não conseguimos convencer quem nos empresta dinheiro que pagamos a tempo e horas.

Existe um nevoeiro de desconfiança contra Portugal nos mercados internacionais.

Um embaraço global que não se diz, mas que se sente quando se trata de vender dívida da República.

Estamos no meio dos irrecuperáveis gregos e dos prometedores irlandeses, e é esta indefinição que nos mata.

Os juros que fomos obrigados a pagar nos leilões de ontem mostram isso mesmo; um descarado receio de que quando a troika sair isto se torne ingovernável.

Se nos pedem juros acima de 1% para um empréstimo a três meses, quanto nos irão pedir quando emitirmos dívida a 10 anos?

Se não acreditam em nós, está a chegar a altura de começarmos a duvidar deles.

subsídio salários dívida crise juros
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)