Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
3
3 de Julho de 2004 às 00:03
Otto Rehhagel, 65 anos, é o treinador que tem a vantagem de não ser grego e não ter tido que aturar as guerras clubísticas internas. Depois, acredita no que faz e não se preocupa se tiver que fazer como anteontem e pegar em coisas quase tão antigas como a cultura grega – libero e marcações homem-a-homem em todo o campo. E ainda foi o libero que marcou o golo...
Em Março de 1993, com Bobby Robson no comando, o FC Porto foi a Bremen ganhar ao Werder, treinado pelo mesmo ‘Rei Otto’, por 5-0. Foi na Liga dos Campeões e esse Werder, campeão da Alemanha, tinha as mesmas virtudes e os mesmos defeitos desta Grécia.
O futebol não se repete e as finais ganham-se por margens mais pequenas Mas a Europa agradecerá que Portugal ganhe este campeonato para que o futebol não volte para trás.
Ver comentários