Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
3
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Armando Esteves Pereira

O custo da má fama

A má fama financeira de Portugal vai custar muito caro a toda a economia. Mais tarde ou mais cedo, mais de dois milhões de famílias com empréstimos para habitação vão pagar mais caro o crédito, mesmo que nos próximos meses essa factura ainda não seja visível.

Armando Esteves Pereira(armandoestevespereira@cmjornal.pt) 25 de Março de 2010 às 00:30

A descida da nota de crédito para Portugal, atribuída pela Fitch, uma das três mais importantes casas de avaliação de risco de crédito do Mundo, justifica-se pelos maus números da economia e das finanças públicas portuguesas. Em Setembro passado, a agência de rating já alertava para os problemas de Portugal e esperava um défice de 6,3%. Mas afinal de contas os resultados apresentados pelo Governo ultrapassaram todas as expectativas, com um saldo negativo de 9,3%.

Imaginem uma empresa com um endividamento equivalente à facturação anual e com um prejuízo previsto para os próximos anos de 8% do volume de negócios. Ainda por cima a expectativa de dinamismo dessa empresa para os próximos anos anda próximo da estagnação. Alguém acredita que a empresa não teria má nota de crédito?

A culpa da má fama do País é da degradação económica e da pobreza quase endémica. Como escreveu Shakespeare na peça ‘Júlio César’, "a culpa, caro Bruto, não está nas estrelas, está dentro de nós".

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)