Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
6
30 de Maio de 2011 às 00:30

O dia de ontem, domingo, talvez por ser um dia santo, foi inteiramente dedicado a estas matérias. Tudo começou quando o líder do CDS afirmou que em questões sociais se sentia mais à esquerda do PSD. A resposta do lado laranja não se fez esperar.

Num almoço em Penafiel, o líder laranja criticou os Governos de José Sócrates por terem constituído uma sociedade pobre com uma minoria cada vez mais rica. E, assim, na última semana de campanha, Pedro diz a Paulo que não há ninguém mais social do que ele e Paulo salta à esquerda e atira--lhe que não há ninguém mais preocupado com os pobres e desfavorecidos do que ele. Nesta disputa à esquerda, Louçã e Jerónimo devem estar completamente à nora.

PARTIDO DOS ANIMAIS

TESTÍCULOS DE BOI FRITOS

Na última semana de campanha eleitoral, é preciso ter muita energia e coragem para aturar os discursos dos políticos, os insultos, os gritos e os debates inacreditáveis com o MRPP. Nada melhor, por isso, para experimentar uns excelentes testículos de boi fritos. Aqui vão os produtos: dois testículos de boi, um dente de alho, cominhos com pimenta, colorau, sal a gosto e manteiga. Não se esqueça da manteiga. 

OS MARKETEIROS

CUIDADO COM O DESEMPREGO

De vez em quando, o PSD vira à esquerda e fala dos pobres e dos desempregados. Mas é preciso ter muito cuidado, e os marketeiros do PSD devem ficar com os cabelos em pé sempre que os temas vêm à baila. E isto porque os laranjas querem obrigar os desempregados a trabalharem de borla três dias por semana. 

A FUGA

VÁ A MALTA DIVORCIAR-SE

Deve andar muita gente pegada por causa da política. Maridos e mulheres aos gritos por este ou por aquele. Aproveite a ocasião e dê um saltinho a Malta. Tem um excelente clima e os malteses aprovaram ontem o divórcio num referendo muito concorrido. Tudo é melhor do que aturar esta bela campanha. 

MAIS

FRANCISCO LOUÇÃ

O líder do Bloco de Esquerda tem bons diagnósticos sobre a situação portuguesa. O pior são as soluções. E numa coisa tem inteira razão. Portugal não pode ser uma província dos bancos nacionais e estrangeiros. É verdade. Mas o que tem de ser tem sempre muita força.

MENOS

ALMERINDO MARQUES

Não é candidato a deputado, nem a a primeiro--ministro. Mas entrou na campanha pelas piores razões. Abandonou as Estradas de Portugal e vai liderar a Opway, construtora do BES. Razão tem Jerónimo de Sousa quando diz que há muito compadrio e amiguismo. 

A PALAVRA

GANHAR

Na última semana de campanha eleitoral, começam a intensificar-se os apelos ao voto, útil ou não, e as mensagens de confiança para português ouvir. É natural, por isso, que a palavra ganhar entre cada vez mais nos discursos dos líderes. Sócrates acredita que o PS vai ganhar, Passos Coelho garante que o PSD vai ganhar, Portas acha que merece ganhar mais votos, Louçã quer ganhar votos ao PS e Jerónimo pede apoios para ganhar a guerra ao BE.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)