Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
2
15 de Abril de 2006 às 00:00
Justificação dos espanhóis: nos feriados há mais visitantes e foram criadas exposições temporárias, concertos e actividades que obrigaram a prolongar os horários. Justificação dos portugueses: os funcionários dos museus têm direito aos feriados pascais, apesar da procura dos turistas, das famílias com tempo e das crianças sem escola. Não lhes faz falta o pagamento a 200% e fecham portas. Afinal, é assim há 16 anos, apenas com dois de interrupção.
Uma greve que, pelos vistos, faz escola. Ontem, a Casa da Música comemorava o 1.º aniversário. O monumento-museu-obra de arte que custou 107 milhões de euros em vez dos 16 milhões previstos e que já tem um orçamento para novas obras aprovadas em mais 2,5 milhões, tinha as portas fechadas. Justificação: os hábitos dos portugueses nos feriados não passam por iniciativas culturais. Ou seja, somos uns incultos e os que nos visitam têm de ser como nós.
Conclusões: os funcionários dos museus vão estar brevemente a queixar-se das regras do subsídio de desemprego; a Casa da Música será notícia não pelas suas actividades, mas pelos milhões a mais que sorveu; e os turistas preferirão dar dinheiro aos cofres espanhóis.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)