Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
1
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

João Pereira Coutinho

O fim do plástico?

Crédito fácil e juros baixos, a combinação letal do euro, não produziu apenas a montanha de dívida que nos enterrou.

João Pereira Coutinho 20 de Novembro de 2011 às 01:00

Também trouxe políticos de plástico que transformaram os respectivos governos em circos populistas. Em Portugal, tivemos Guterres e Sócrates (Durão e Santana foram apenas interlúdios para a malta ir às pipocas). Mas ‘nuestros hermanos' não se ficaram a rir. Saiu-lhes Zapatero. Que o mesmo é dizer: enquanto a economia afocinhava com uma bolha imobiliária que toda a gente via crescer e rebentar, Zapatero entretinha-se a ser ‘moderno'. Casava homossexuais; ressuscitava os fantasmas do franquismo; alimentava a fogueira autonómica dos nacionalismos; e etc. etc.

Hoje, quando os espanhóis se livrarem da criatura, ficarão com um país economicamente destroçado, onde metade da população jovem não tem emprego. Mas ficarão sem Zapatero. É um começo. Aliás, se a crise servir para afastar estes comediantes da arena, nem tudo terá sido em vão.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)